SAC:

(31)92004-1079

Detalhes do blog

Trabalho em casa: todo dia é segunda-feira (mas pode ser domingo)

Como ser produtivo no trabalho em casa tendo que equilibrar família, trabalho e a cabeça na pandemia do coronavírus? Sem a dinâmica de escritório, confesso que está sendo desafiador para mim, parece que todo dia é segunda-feira. Você se sente assim também?

Ao conversar com alguns amigos em situação parecida com a minha, com a rotina de trabalho praticamente 100% em casa ao lado da família, percebi que a produtividade é o tema mais complicado. Como definir produtividade neste novo cenário de trabalho em casa?

Eu comecei a me questionar coisas como: como saber se estou sendo produtivo? As entregas do trabalho são suficientes para dar a sensação de “missão cumprida”? O excesso de reuniões online, somado com as demandas familiares, pressiona a quantidade de horas para realmente fazer o que precisa ser feito?

Trabalho em casa? Não vai ser como no escritório

Compartimentar a cabeça, e posteriormente a agenda e as tarefas, é talvez o “nó” mais complicado de desatar neste momento. Eu relutei para aceitar, mas agora estou em paz com o fato de que trabalhar em casa não vai ser, nem de longe, como era no escritório.

Eu sinto falta das interações pessoais com colegas de trabalho e das pausas focadas em reencontrar a energia para as próximas atividades. O cafezinho, a conversa sem compromisso, o papo sobre esportes, o isolamento faz parecer que “não estou fazendo isso direito”.

As interrupções também são muito mais frequentes no trabalho em casa, seja por conta da importante demanda familiar ou mesmo por distrações “plantadas” dentro do seu próprio ambiente (TV, videogame, ruídos de outras casas/apartamentos etc.).

Lição aprendida: trabalhar em casa não vai ser como no escritório e este é o novo normal. A adaptação é questão de sobrevivência e requer novos hábitos, trabalhar em horários diferentes e mais foco em produzir que em parecer ocupado.

Trabalho em casa: foco na produtividade

Depois de duas semanas fechado em casa, saindo bem pouco e precisando entregar resultados ainda melhores, acordei certo dia bem cedo e ao olhar no espelho eu disse a mim mesmo: “Preocupe-se em ser produtivo, não em fazer o tempo passar mais rápido”.

Parece estranho lembrar disso agora ou até mesmo considerar que eu conversei comigo mesmo assim, mas a conclusão a que cheguei está longe de ser óbvia em um ambiente de trabalho em casa.

Muitos especialistas são unânimes ao afirmar que devemos adotar em casa uma rotina muito parecida com a do trabalho em escritório. Acordar, trocar de roupa, ir para um espaço reservado, muitas coisas fazem sentido e funcionam bem, mas nem tudo são flores.

Com crianças pequenas em casa, muito da dinâmica ideal do trabalho vai por água abaixo. E eu vivo exatamente esta realidade, tocando três empresas, mas ao mesmo tempo lidando com duas lindas princesas (uma de um e outra de cinco anos) ao lado da esposa, que também trabalha (está de férias, mas voltará em breve e terá atividade em escritório).

Por que escrevi tudo isso sobre a conversa comigo mesmo e minha situação? Porque as fórmulas prontas quando não funcionam, só aumentam nossa ansiedade e frustração. Eu estava injuriado por não conseguir dar conta da rotina como ela deveria ser, mas sem me dar conta de que estava conseguindo superar as expectativas no trabalho.

Seguindo com meu exemplo pessoal, por aqui trabalho em intervalos de uma hora e meia partindo das 8h, intercalando uma hora com a família ou com outra atividade. Levo isso até 20h, quando uma das meninas vai dormir e então aprofundo minha agenda de concentração, esticando até meia noite.

Os intervalos nem sempre são respeitados, então posso trabalhar ou brincar mais, dependendo do que acontecer. O fato é que tentar controlar absolutamente cada minuto já não passa mais pela minha cabeça como em outros momentos.

Meu objetivo não é soar dramático ou justificar, mas explorar o que aprendi para compartilhar algum insight diferente dos especialistas em produtividade – que respeito e com os quais também aprendo muito.

Lição aprendida: durante o isolamento social, todo dia é segunda-feira, mas também pode ser domingo. Ou seja, ter uma rotina ajuda, mas ela não deve ser a maior preocupação. A produtividade precisa ser o foco, ainda que você trabalhe “menos do que no escritório” ou em horários/dias alternativos.

Trabalho em casa: aproveite a família

Vai soar como um enorme clichê, mas nossa família é, sim, nosso bem mais precioso. Ter com quem dividir aflições, medos, mas também alegrias e conquistas é o que nos faz tão diferentes de outros animais. O amor, a compaixão e o respeito só podem fazer parte de um cidadão bem formado se a família for uma referência.

Em um cenário de cada vez mais trabalho em casa, fica mais difícil aceitar que a prioridade continua sendo a família. Com a cabeça nas atividades profissionais, fico mais suscetível a “estourar” caso seja interrompido e a paciência com coisas simples parece sumir. Acontece o mesmo por aí?

Caia nos braços da família, literalmente. Aproveite o tempo ao lado do cônjuge, dos filhos e dê atenção de verdade várias vezes ao dia. Não existe outro jeito de fazer as coisas funcionarem, porque de outra forma você não se relaciona bem com as pessoas que ama e tampouco produz de forma satisfatória no trabalho em casa.

Considerando a enorme pressão que o atual cenário já exerce, não hesite em aproveitar ao máximo sua proximidade com a família, nem que isso exija sacrifícios diferentes em termos de horários e até mesmo crenças pessoais. Falo por mim mesmo, afinal sou uma pessoa disciplinada e precisei “baixar a guarda” neste sentido.

Conclusão

Não existe certo e errado no que diz respeito a criar o ambiente ideal para o trabalho em casa. Aliás, não existe isso de criar o melhor ambiente para trabalhar do aconchego do lar. Eu acredito que o mais importante é fazer o possível, com dificuldades é verdade, mas também enxergar o lado positivo de tudo isso (estamos mais perto de quem amamos).

Aproveito o momento para agradecer aos inúmeros profissionais que seguem trabalhando e enfrentando suas batalhas diárias mesmo com o perigo de contágio. Profissionais de saúde, transporte de cargas, restaurantes, oficinas, farmácias, supermercados e muitos outros, obrigado. Muito obrigado!

—— Este artigo foi escrito por Conrado Navarro. Este artigo apareceu originalmente no site Dinheirama.A reprodução deste texto só pode ser realizada mediante expressa autorização de seu autor. Para falar conosco, use nosso formulário de contato. Siga-nos no Twitter: @Dinheirama

Deixe o seu comentário

Compare Imóveis
Adicione propriedades para comparar.